Na base do conhecimento está o erro

Latest

Um país da banda desenhada

Pinguins

“É sorrir e acenar, rapazes.” 

A Ministra da Administração Interna ainda não teve férias.

O resto são peanuts!

E António Costa disse que os dias negros irão repetir-se.

É o fado português!

Advertisements

No limite, não existe (mesmo)!

CUSousa

Constança Urbano de Sousa, Ministra da Administração Interna do XXI governo constitucional de Portugal, afirmou hoje à RTP que “com um número tão elevado de ocorrências não existe nenhum dispositivo à face da terra que possa fazer face a este número elevado”.

Desconheço se alguém exigiu à Ministra um registo 100% imaculado. Duvido que tal tenha acontecido. A perfeição é algo incompatível com a condição humana. Contudo, espero que lhe tenham pedido para fazer o melhor possível e, sobretudo, para aprender com os erros cometidos. Menos do que isso é inaceitável.

Perante esta afirmação, três observações devem ser feitas.

Primeiro, que frase da Ministra é claramente mais uma desculpa do que uma evidência. Constança Urbano de Sousa só está a expressar e/ou a reiterar a sua falta de capacidade para exercer este cargo – e, já agora, qualquer outro cargo público em democracia – pois não está disponível para ser responsabilizada. Nem para aprender. Como não fez nada, nada tem a corrigir.
Segundo, não percebo porque existem bombeiros e protecção civil? Nem, no limite, ministros da administração interna? Constança Urbano de Sousa já deveria ter interiorizado que as desculpas não resolvem os problemas. Antes pelo contrário. As desculpas só conduzem ao laxismo.
Terceiro, face à falta de meios, faça alguma coisa. A indecisão não leva a lado nenhum. Estabeleça prioridades e faça as triagens necessárias e possíveis. Tome decisões, mas assuma as responsabilidades. Verá que esta postura será mais compreendida pelos portugueses.

Constança Urbano de Sousa deveria ser eternamente grata aos bombeiros e à protecção civil, que são verdadeiramente incansáveis. Sem eles, estaríamos mesmo no inferno. E igualmente deveria perceber que “mão criminosa” não é justificação nem desculpa a inacção!

Conforme referi acima, não acredito que alguém tenha exigido à ministra para ser perfeita. Já o melhor possível não tenho a menor dúvida que lhe tenha sido pedido.

Todavia, se isto é o melhor que Constança Urbano de Sousa sabe fazer, a ministra, no limite, não existe mesmo.

 

 

%d bloggers like this: