Na base do conhecimento está o erro

Posts tagged “justiça

Nádia Piazza – A (minha) Personalidade de 2017

Nadia Piazza

Nem consigo imaginar o que é perder um filho. Muito menos nestas circunstâncias. Perder um filho é o meu maior pesadelo. Nem quero pensar nisso.

Nádia Piazza viveu essa condição. Experimentou integralmente a consequência da alteração da ordem natural, quando nada o fazia prever, porque o acumular de decisões inadequadas finalmente se manifestou. E, ao contrário daqueles que deviam assumir as responsabilidades, apesar da dor que, certamente, tem em si, Nádia Piazza avocou a responsabilidade de fazer diferente e melhor.

Nádia Piazza lidera a Associação de Apoio às Vítimas de Pedrógão Grande. Fa-lo livre de qualquer influência, em plena rectidão, tendo como missão a justiça e a recuperação do bem-estar e da autodefesa da população do interior do país.

Independente, avessa ao seguidismo fácil, Nádia Piazza, e os restantes membros da direcção da Associação de Apoio às Vítimas de Pedrógão Grande, guiam-se apenas pelo que a consciência lhes dita, não procurando agradar a quem está no poder.

Por causa da sua insubmissão, Nádia Piazza já foi insultada. Por causa dessa mesma independência, é por mim respeitada.

Portugal precisa destes exemplos de cidadania.

Nádia Piazza, muito obrigado!

Advertisements

Entrevista pós-acusação (7)

Um empréstimo de 600 mil euros

sem qualquer tipo de registo e de juros é trivial.

Acontece todos os dias!

 


Entrevista pós-acusação (6)

“Tenho uma relação institucional com Ricardo Salgado”

José Sócrates

Agora também é judicial!


Entrevista pós-acusação (5)

Afinal, Sócrates é um liberal.

Como ele paga as contas não é da conta de ninguém!


Entrevista pós-acusação (4)

“As exportações subiram mais de 1000% para a Venezuela”

José Sócrates

E qual foi o valor dos calotes?

 


Entrevista pós-acusação (3)

Sócrates diz que as quantias eram pequenas.

Ao nível do código de conduta do governo?

Pergunto?

 


Entrevista pós-acusação (2)

“Portugal tem o Ministério Público das falsidades”

José Sócrates