Na base do conhecimento está o erro

Medo – o elemento omnipresente

Medo

(Aparentemente) Não há maneira dos nossos representantes eleitos aprenderem.

Se, efectivamente, existe algum elemento que condicione enquadramento constitucional português, esse elemento é o medo.

A Constituição da República Portuguesa vigente, originária da revolução de 25 de Abril de 1974, resulta de dois medos:
Primeiro, da repetição da I República;
Segundo, do grau de desenvolvimento do partido comunista (em 1974).

Daqui advém a primazia dada aos partidos políticos, relativamente à mudança da lei fundamental, que gerou a actual partidocracia.

Decorridos todos estes anos, o medo continua a imperar, pois agora são os partidos políticos que têm receio da sociedade civil, muito particularmente do povo.

Advertisements

6 responses

  1. Paulo Branco

    Não o diria melhor

    2012-04-10 at 0:05

  2. Generalizar é miopia

    2013-02-12 at 16:32

  3. Deolinda Mesquita

    Não podemos considerar todos com medo.

    2013-02-12 at 17:22

    • VFS

      Deolinda, creio que o post é explícito.
      É evidente que não são todos.

      2013-02-12 at 17:25

  4. Pingback: Medo – o elemento omnipresente » TRIPLO II

  5. Maria Antónia Anacleto

    Sem dúvida, o medo continua a imperar.

    2013-02-13 at 17:24

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s