Na base do conhecimento está o erro

O que é o mal?

São os diversos emails que recebi, principalmente após a publicação deste post (Na Encruzilhada: UE, Turquia e NATO), que me levam a partilhar estas ideias.

Então o mal só existe na religião?
E dentro desta, apenas os países islâmicos/muçulmanos, particularmente os fundamentalistas, é que são maus?
Então, não há fundamentalistas religiosos na civilização ocidental?
Nem fundamentalistas políticos?

Começo por expressar que o mal não é um exclusivo de qualquer civilização, nem está confinado a qualquer espaço ou a um determinado tipo de motivação.
Na minha opinião, o mal, tal como o bem, nasce no coração dos homens. Sejam eles donde forem, sejam eles como forem! E, por incrível que possa parecer, o mal está no meio de nós e variadas vezes mora ao nosso lado.
Assim, considero que o mal é uma opção, individual ou colectiva. É “um dos preços” da liberdade.

Alguns de vós afirmam que nos países islâmicos não há liberdade. Talvez? Independentemente disso, nesses países, como aqui, o mal continua a ser uma opção. Nesses países, como aqui, também há homens bons.

Para mim, nada justifica o mal. Nem a religião, nem a política. Nem a intolerância, nem o racismo. E, naturalmente, muito menos a liberdade é razão.
Mas a verdade é que é um erro crasso considerarmos que, pelo facto de sermos incapazes de fazer determinadas coisas, outros não as pratiquem.

Deixo aqui um último pensamento, o qual, embora não pareça está relacionado com o tema.
No passado dia 7 de Maio, decorreram 59 anos desde que a Segunda Guerra Mundial terminou na Europa. Quando olho para a história, tenho receio do que pode emergir desta circunstância.

Tanto a nível do comportamento dos nossos jovens como na qualidade dos nossos líderes políticos!

Advertisements

8 responses

  1. João Paulo

    Obrigado pela resposta.
    Enviei outro email.

    2008-09-15 at 23:31

  2. Pedro Costa

    Consegue mesmo separar a componente religiosa desta temática?

    2009-08-29 at 15:33

    • VFS

      Não me consigo é abstrair da componente ética.

      2009-08-30 at 23:41

  3. Miguel Magalhães Ferreira

    Concordo em absoluto. Um dos maiores erros que podemos fazer é utilizando uma visão deformada efectuar generalizações. O mal e o bem misturam-se…nós próprios somos um campo de batalha entre essas duas posições. A diferença entre os homens como Seres Individuais (e não entre civilizações) é na força que imprime a cada um dos lados com o objectivo de lhe dar a vitória. O mal pode surgir dos sítios de onde menos se espera!

    2011-07-24 at 15:58

  4. Vasco Portugal

    Palavras proféticas,
    Já na altura fiquei a pensar sobre o final do seu post.

    2011-07-24 at 23:34

  5. Joana Maria-Lobo

    O Mal existe em qualquer ser humano, é uma extensão que apela ás nossas mais distantes origens. Existe nas crianças, encontra-se nos adultos é geral. Não valeria a pena falar-se em fundamentalismos quer religiosos quer políticos se eles não constituissem um acelerador, um canalizador do Mal. Por outro lado o discernimento e a recusa de usar esse mal genético é a virtude que nos torna dignos de sermos humanos.

    2011-07-25 at 9:42

  6. e eu pergunto, vicente. o que é o mal?

    para algumas pessoas, é fácil dizer: é alguém que mata alguém por questão de intolerância, é alguém que rouba o ganha pão de outrem, é alguém que viola.

    mas será que as nossas atitudes, muitas vezes consideradas normais não serão também elas parte desse mal? quantas vezes insultamos, mesmo veladamente, quantas vezes questionamos o nosso valor como seres humanos, julgando-nos incapazes de amar outrem, de amar o próximo, quantas vezes duvidamos das nossas capacidades de mudar e de atrair para nós e para os outros o melhor do nosso íntimo?

    tudo isso faz parte do mal. tudo isso faz parte de uma negação da Vida. e é por isso que necessitamos de construir a tal sociedade da vida, sociedade dos humanos, dos valores, da alegria.

    grande abraço
    jorge

    2011-07-25 at 16:23

  7. Concordo com o poeta! O “mal” faz parte do livre arbítrio do ser humano. Independe de religião, cor, política ou raça. Existem seres que no seu DNA já está marcado o mal como preferência, e o bem, como uma opção. Existem crianças más, assim como doentes e idosos maus.

    O mal não está fora, não é externo, é intrínseco ao ser humano.

    Parabéns, Vicente. Estamos vivendo uma época onde o mal tem sido uma constante.

    Beijos

    Mirze

    2011-07-25 at 23:26

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s