Na base do conhecimento está o erro

Posts tagged “exemplo

Mau exemplo

Marcelo-Ferro-e-Costa

Ferro Rodrigues exemplifica o incumprimento da distância de segurança.

Aprendam. Não façam como o Presidente da Assembleia da República faz!

 


Eusébio da Silva Ferreira

Eusébio da Silva Ferreira

Obrigado, pelos inúmeros exemplos.

Hoje choramos nós!


Nelson Mandela

Nelson Rolihlahla Mandela (18 de Julho de 1918 – 5 de Dezembro de 2013)

 

Nelson Mandela é a personificação do humano.
É a concretização da possibilidade humana.
É a afirmação que podemos ser melhores.

Nenhuma palavra será suficiente para descrever seres como este.
Felizmente para nós, não foi o único e outros aparecerão.
Mandela, tal como Gandhi, é um exemplo intemporal.

Deu-nos o exemplo da liderança do perdão.

Para mim, é a definição viva de algo que ainda novo tive a sorte de aprender:
Não sei nada enquanto não souber a diferença. E é ao aceitar a diferença que me torno inteiro.


Lealdade e respeito pelos munícipes

Lealdade

Luís Filipe Menezes sempre se afirmou leal. A tudo e todos, principalmente aos gaienses. Tanto que chegou a dizer que se manteria no cargo de Presidente de Câmara de Vila Nova de Gaia até ao último dia (compromisso que também não honrou).

Fernando Ruas, Presidente da Câmara Municipal de Viseu desde 1990, também poderia ter optado por ser candidato a qualquer outra Câmara Municipal. Todavia, não o fez.
Pode ser que esteja errado, mas isto é que é lealdade e respeito pelos munícipes. Neste caso, pelos viseenses. Não é difícil equacionar que, caso o deseje, facilmente Fernando Ruas voltará a ser Presidente da Câmara Municipal de Viseu daqui a 4 anos.

Luís Filipe Menezes jamais poderá fazer o mesmo. Não regressará a Gaia. A sua “lealdade” já é outra!

A verdade é que Luís Filipe Menezes não demonstra ter lealdade por ninguém. Nem pelos gaienses, nem pelos portuenses.
Só por ele e pelo poder!


Associação de Calimeros

calis

O tribunal condena e a Relação confirma.

Mas é uma injustiça!

É uma injustiça!


Não há palavras (3)

(clicar na imagem)

 

que dizer das declarações deste homem – Pedro Nuno Santos – com, segundo os seus correligionários, um elevado potencial (tanto que chegará a primeiro-ministro)?

será um produto da escola socretina?

ou apenas um imbecil?


Sonho ou ilusão?

Gostava de ver o Governo reduzir em 25% os vencimentos de todos os seus membros (e respectivo staff) e a sugerir aos restantes órgãos de soberania que fizessem o mesmo.

Isto é que é dar o exemplo e seria um argumento moral para continuar a pedir sacrifícios à população portuguesa.


Marinho Pinto, o atirador de pérolas?

Sinceramente, já não sei o que pensar deste homem.

Tanto afirma que é um absurdo um inquérito judicial à crise, devendo os portugueses ser mais atentos às escolhas políticas que fazem (aqui), como defende a greve à democracia no dia em que os portugueses efectivam as suas escolhas políticas (aqui).

Ó Senhor Bastonário, em que é que ficamos?

É verdade que na vida, e na convivência social, temos sempre que optar entre dizer o que pensamos e aquilo que os outros querem ouvir. Mas, há limites. Ou não?


Será prepotência?

Este senhor,

num centro de saúde, passou à frente dos seus concidadãos (aqui).

Será prepotência?
Ou apenas o comportamento habitual?


O(s) rosto(s) da inocência

Alguém duvida que, no processo Face Oculta, Armando Vara é um dos rostos da inocência?

Mesmo não sendo silencioso?


Encomendas

Que dizer deste episódio da vida do Tio da democracia Portuguesa?

Manuel Alegre tentou “arranjar” um expediente para concluir o curso de direito.

 

Leia a carta em que o candidato pediu ajuda ao cunhado aqui:

via Notícia SÁBADO: Alegre encomendou diploma que não existia na faculdade.

 

Manuel Alegre esteve sete anos e meio matriculado no curso de Direito da Universidade de Coimbra. Nesse período, desenvolveu “uma intensa actividade contra a ditadura (…)”, mas estudar – para terminar o curso, o que lhe daria possibilitaria mais intrumentos e meios para pugnar pela liberdade – não.
Estudar dá trabalho e já sabemos que, para algumas pessoas, o trabalho custa imenso.

Não há dúvida que, para os socialistas, o facilitismo é uma opção fundamental!


Congresso PSD

Primeiro mau sinal: o não cumprimento do horário previsto.

Trata-se dum exemplo que a população dispensava.

(Sim, nos restantes partidos políticos portugueses também acontece o mesmo)