Na base do conhecimento está o erro

Posts tagged “dívidas

Costa vs Costa (2) – O país paga!

AC vs CA

António Costa, secretário-geral dum partido político falido, está a exigir dinheiro a António Costa, Primeiro ministro do endividado XXI Governo.

É assim que se salva um passivo. Pelos vistos, a contribuição que foi pedida aos dirigentes socialistas para amortizar o passivo do partido socialista já não é necessária. Embora, em boa verdade, não creio que houvesse vontade para tamanha honradez.

Mas não se preocupem. A vida irá continuar. E para o ano, a gestão socialista continuará a fazer mais dívida. Do partido e ao país.
Podem ficar descansados!


Não há palavras (3)

(clicar na imagem)

 

que dizer das declarações deste homem – Pedro Nuno Santos – com, segundo os seus correligionários, um elevado potencial (tanto que chegará a primeiro-ministro)?

será um produto da escola socretina?

ou apenas um imbecil?


Não há palavras (2)

(clicar na imagem)

 

Não há palavras para o regresso (triunfal, alguns certamente dirão) deste homem.

Trata-se apenas do Primeiro-Ministro e ex-Primeiro Ministro que mais endividou Portugal!

 


5ª coluna?

Aparentemente, já não basta o “capital” político de Portugal – momentâneamente acrescido pela presença, como membro não-permanente, no Conselho de Segurança da ONU.

A China, país amigo que está a comprar a nossa dívida, quer disseminar o seu poder económico na Europa.
Consequentemente, a “entrada” nos bancos portugueses é uma jogada estratégica.

Será Portugal uma 5ª coluna?
E até quando será útil como tal?


Como é que pode?

 

Ben Bernanke, o Presidente da Reserva Federal Norte-americana deu uma entrevista ao 60 Minutes (aqui).

Como é que é possível que este homem seja o responsável pela formulação e execução da política monetária dos Estados Unidos???

P.S. – foi pena não ter explicado em mais detalhe quais os mecanismos e instrumentos que utilizou para a compra da dívida pública norte-americana. O Ministro Teixeira dos Santos gostaria de perceber.

 


Sobre o estado das coisas

 

Aconselho a leitura deste artigo da Margarida Peixoto no Diário Económico.