Na base do conhecimento está o erro

Archive for 2018-03-11

Calma! É só discriminação ideológica…

Jerónimo e as mulheres

Foto: EPA/RUI MINDERICO (JN)

.

Enquanto uma mulher se (re)afirmava como líder partidária, Jerónimo de Sousa, homem, e igualmente líder partidário, participou na luta das mulheres contra as desigualdades e discriminações.

Instado a comentar o discurso de Assunção Cristas, o líder comunista, certamente influenciado pelo ambiente que o rodeava expressou, com um sorriso na cara, “que mulheres mais importantes estão aqui [na manifestação] (…) e não no congresso do CDS”.

Eu não sabia que a igualdade era selectiva. Sempre pensei que a distinção implicava desigualdade. Pelos vistos, segundo a perspectiva comunista, estava errado.

Naturalmente, Jerónimo de Sousa não é misógino. De todo! Nem discrimina todas as mulheres. Só algumas. Por causa da ideologia!


A esquerda (portuguesa) é estruturalmente intolerante!

Nadia Piazza 2018

(Foto: Jornal de Notícias)

.

Nádia Piazza aceitou integrar o grupo de coordenação do programa eleitoral do CDS-PP.

Naturalmente, a decisão não agradou a toda a gente. Nenhuma decisão o faz. Teve, no entanto, o condão de salientar algo que há muito define a esquerda portuguesa: a sua intolerância estrutural.

Que a esquerda sempre se considerou intelectualmente superior não é novidade. Todavia, recentemente, a esquerda também começou a demonstrar que se considera moralmente superior.

Não há justificação nenhuma para o que se lê sobre a Nádia Piazza devido a esta escolha. Nádia Piazza é uma mulher notável, que tem direito à sua opinião e livre escolha, a qual, independentemente de ser ou não coincidente com a nossa preferência, continua a ser merecedora de respeito. A maioria dos comentários são desprovidos de substância, revelando-se meros ataques de carácter.

E são inaceitáveis as referências pejorativas feitas ao sofrimento duma Mãe pela morte do seu filho. Inaceitáveis! Nada mais são do que falta de decência.

Ao ler este tipo de reacção, fazendo uso do léxico governativo, no limite, ainda vai ser afirmado que não se verificaram vítimas mortais nos incêndios de 2017.