Na base do conhecimento está o erro

Archive for March, 2013

Porque é que o Pacheco Pereira …

JPP.jpg

… não se candidata a Presidente do PSD?

Muito recentemente, assisti a uma conferência onde ele era um dos oradores. Na sua intervenção, dedicou 10% do tempo ao tema e os restantes 90% a criticar o Governo do seu partido. Porquê? Qual é a razão para esta postura? Volto a ouvir as suas palavras na SIC noticias, no que diz e como diz, e fico na dúvida se o vingativo não será ele?

Indubitavelmente, Pacheco Pereira é um homem inteligente e culto. Também já tem um longo percurso de vida pública. Se está descontente com a actual liderança do partido, porque é que não é alternativa? Será que é mais fácil ser apenas comentador? Ou será porque Pacheco Pereira prefere ser um “Richelieu” a defender as suas ideias nas urnas?


Cândida Almeida no Supremo


Cândida Almeida, por decisão do Conselho Superior do Ministério Público, foi nomeada para o Supremo Tribunal.

Não questiono a legitimidade, mas não percebo o porquê desta indicação.
Se Cândida Almeida não foi reconduzida no DCIAP, e bem, na minha opinião, porque é que é nomeada para o Supremo?
Pode ser, ou não, uma promoção. Mas também levanta outras questões.
Existirão quintinhas e grupos de influência no Ministério Público?  Será que esta solução serve para acalmar eventuais hostes internas?

Se assim for, revela-se uma péssima decisão estratégica e apenas o adiar da resolução dum problema.


Lá se vai a confiança


As declarações de Jeroen Dijsselbloem, Presidente do Eurogrupo, revelam até que ponto vai o leque de possibilidades considerado.

Lamentavelmente, para além dos resultados práticos, a queda das bolsas, só serviram para aumentar a desconfiança dos investidores e da população face às instituições bancárias e aos dirigentes europeus.
Já não bastava a falta de confiança nas instituições económicas e políticas nacionais e respectivos intervenientes. Não. Era preciso fazer com que essa desconfiança aumentasse de grau.

Jeroen Dijsselbloem, em virtude das reacções dos mercados, veio horas depois corrigir as suas afirmações, dizendo que as medidas negociadas para o Chipre são apenas destinadas a este país e que não serão aplicadas nos restantes países já intervencionados.

Pior a emenda que o soneto. Infelizmente, a genuinidade das suas primeiras palavras fala por si.


O meu partido é o Porto

Rui Moreira (foto JN)

Rui Moreira é candidato à Câmara Municipal do Porto!


Papa Francisco

pt.euronews.com

A eleição dum jesuíta como Papa representa, sem dúvida nenhuma, uma mudança na Igreja.
Oxalá a mesma seja profunda!


“Democratização do Regime”

Henrique Neto e mais sessenta personalidades, apresentaram um “Manifesto pela Democratização do Regime”.

Considerando a maior parte das pessoas que são signatários deste manifesto, tenho sérias dúvidas sobre as mudanças que defendem. Contudo, facto de se manifestarem é positivo.

De qualquer maneira, como os pontos são vagos e genéricos, temos que aguardar para ver quais são as posições concretas relativamente ao sistema de governo e afins.
O problema de Portugal não é o regime ou a forma de governo, mas sim o sistema de governo (leia-se semipresidencialismo).

Alterar o sistema eleitoral sem alterar o sistema de governo é perpetuar o status quo.

Defender um referendo que permitisse aos portugueses a possibilidade de manifestarem a sua escolha entre um sistema de governo presidencial ou parlamentar é que seria inovador e clarificador quanto à mudança que Portugal necessita.