Na base do conhecimento está o erro

Archive for November, 2011

E se o Euro acabar (4)?

Entrar no Euro é muito bem capaz de ter sido um erro. Mas sair de livre vontade da zona Euro é outro.
Corrigir um erro com outro erro não é a solução.
E, verdade seja dita, para já Portugal não tem alternativa.

Agora, se o Euro acabar, isso será outra história.


E se o Euro acabar (3)?

Se tivermos em conta que Portugal tem uma dívida no produto no valor de 100% do PIB, e considerarmos que um retorno ao escudo poderá implicar uma desvalorização deste para metade, que implicações decorrem daqui no valor da riqueza nacional e na percentagem da dívida no produto?

A saída do Euro será a entrada de Portugal na bancarrota?


(in)Gratidão

Francisco “tele-evangelista” Louçã é um verdadeiro ingrato.

Se há alguém que devia estar grato à Troika, esse alguém é o coordenador nacional(?) do BE.

Afinal, a troika e os fait-divers como a ligação dos (seus) correligionários ao BPN, afastam a atenção para a sua brilhante liderança que proporcionaram (ainda bem, na minha opinião) os últimos resultados eleitorais do Bloco.

Apesar de alguma constestação interna, não há dúvida que a mesma têm vindo a esmorecer.
No entanto, tal até não pode ser mal de todo…


É preciso ter lata (3)

Manuela Ferreira Leite criticou a política fiscal do Governo por a mesma essencialmente visar o aumento da receita.
Não é que não tenha razão, mas que moral tem esta senhora para dizer isto.

Quando foi Ministra da Finanças qual foi o montante de despesa que reduziu?

Mais valia estar calada.


Andam todos à nora!

Enquanto o ministro francês dos assuntos europeus afirma que a zona euro sobreviverá sem a Grécia, a Comissão Europeia diz que não é possível permanecer na UE sem pertencer à zona euro.

Felizes dos países da UE que não aderiram ao euro.

P.S. – quem é que se está a rir?

 


Nova era

Estamos prestes a entrar numa nova era.
Oficiosamente já a vivemos, mas quando o primeiro governo cair por causa da crise, entraremos oficialmente no tempo em que a economia subjuga a democracia.


A era da Ganância

Estamos prestes a entrar numa nova era!

Oficiosamente já a vivemos mas, quando o primeiro governo cair por causa da crise, entraremos oficialmente no tempo em que a economia subjuga a democracia.

 


É preciso ter lata (2)

O PS (ou alguns dos seus deputados) prepara(m)-se para votar contra o OE2012.

No entanto, estavam dispostos a votar favoravelmente o PEC IV, V, VI, etc.

Não há dúvida que a grande maioria dos nossos eleitos (sejam de que partido forem) são, no que respeita a valores e decência, inqualificáveis.

 


Até que enfim!

Não creio que o referendo decidido pelo governo grego seja uma má ideia. Até considero que é uma brilhante posição política.

Papandreou, através do referendo, apenas permite ao povo ser ouvido e partilha com a população a responsabilidade.
Trata-se de democracia em acção.

Quais são os efeitos desta decisão?
Internamente, qualquer que seja o resultado do mesmo, irá clarificar a situação e pode muito bem acalmar a população, permitindo que o executivo grego – este ou outro – possa trabalhar em paz. Na falência ou não.
Externamente, como não me parece que a saida da Grécia do euro seja por si só suficiente para o colapso do sistema, creio que servirá para aliviar a pressão sobre os restantes países e levará à concentração de esforços.

Sim, é verdade que os mercados já se estão a manifestar. Mas deixariam de o fazer? É evidente que não. Podem é estar a perder a possibilidade de continuar a fazer tanta especulação.

Por fim, se, eventualmente, a população grega preferir sair do euro também é melhor que o faça já.

P.S. – verdade seja dita, estava a ser exigido ao Governo grego fazer o que nem Merkel ou Sarkozy seriam capazes de fazer! Independentemente disto, também há aqui uma quota de chantagem.