Na base do conhecimento está o erro

A melhor maneira de trazer o FMI

Não contando com o instinto político do próprio (que é considerável), mas tendo em consideração que algumas vozes já se manifestavam em surdina e que, externamente, a pressão tornou-se insustentável, José Sócrates encontrou a melhor maneira de fazer com que o FMI se instale, temporáriamente, em Portugal.

Negociou acordos sem dar cavaco às tropas (leia-se, oposição, Presidente da República e o próprio partido) sabendo que os mesmos não seriam aprovados no Parlamento, para precipitar uma crise política com a sua demissão.

Consequentemente, pode acusar a oposição de “causadores” da crise e da entrada do FMI no país, consegue que terceiros (leia-se, o FMI) assumam a responsabilidade pela tomada de medidas que ele não teve a coragem para tomar, a credibilidade do país perante o exterior melhora, e, caso vença as legislativas antecipadas, terá alguma folga para governar.

Será?

Advertisements

One response

  1. EME

    Pertinente esta abordagem.
    Este Sócrates tem tudo, menos inocência.
    Nem Maquiavel, nos seus mais profundos desvaneios, conseguiria melhor!
    O que mais me surpreende é o facto de existir um elevado número de portugueses , leia-se, um elevado número de socialistas que, preocupados com a perda de mordomias adquiridas, deram a Sócrates uma vitória inquestionável na recondução do PS.Resta saber se esta vitória não vem acompanhada de cianeto…Será?
    Um abraço

    2011-03-29 at 8:08

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s